sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

PARA NÃO SENTIRMOS MEDO...


A PESTE A CAMINHO DE BAGDÁ

"Conta uma lenda antiga que certa vez se dirigia a Peste a Bagdá.
Um viandante pergunta-lhe no caminho:
- Para onde vais?
-Vou a Bagdá matar 5000 pessoas, respondeu a Peste.
Dias depois, novo encontro...
Pergunta o mesmo peregrino:
-Por que me disseste que irias matar 5000 pessoas, ó Peste? Morreram 50.00 criaturas em Bagdá...
- O que disse, isso fiz. Só matei 5000. O resto morreu de medo - respondeu a Peste, com um gesto significativo."
.....................................................................................

MIRA Y LOPEZ, psicólogo mundialmente conhecido, afirma, em seu livro "OS QUATRO GIGANTES DA ALMA" , que o Medo, a Ira, o Amor e o Dever são gigantes que vivem dentro de nós, na maioria dos casos , adormecidos ou disfarçados; e a energia que são capazes de mobilizar e veicular é tão grande, que tudo de bom ou de ruim que ocorre na Terra, deve-se fundamentalmente a eles.
O mais velho desses gigantes, talvez o mais incompreendido até pouco tempo, é o MEDO, o qual ele denomina "GIGANTE NEGRO".
De modo geral, pode-se afirmar que há três tipos de apresentação do medo:

a) o INSTINTIVO - orgânico, corporal, base para sobrevivência, pois aponta perigos.

b) o RACIONAL - condicionado, psíquico. Sua fórmula é "não te arrisques", atitude de prudência - forma mais suave do ciclo de invasão de nosso gigante.

c) o IMAGINÁRIO-INSENSATO - é a forma mais torturante do Gigante Negro. É também conhecido como medo absurdo, fobia. Tal medo se torna injustificado e incompreensível, não só para os que o analisam com frieza lógica, como para os que sofrem intimamente seus efeitos. Situado neste ponto, o medo leva-nos a uma conduta fugitiva, fragiliza o nosso tônus vital e abre brechas para situações negativas.
Como se vê, o medo é um inimigo antigo, mas também o mais astuto, já que é capaz de se mascarar para melhor exercer o seu domínio sobre nós. Timidez, preocupação, prudência excessiva, pessimismo, mentira são alguns de seus disfarces. Aprendamos, pois, a reconhecê-lo em suas variadas manifestações, a fim de não nos entregarmos a sua força angustiante, capaz , em seus estágios mais profundos, de tirar-nos a razão e nos paralisar num estado de perturbação.
*****************


(Imagem de RENÉ MAGRITE)

4 comentários:

Mel disse...

Foi bom ler isso... Só eu sei o mal que o medo me faz, e a luta que traço contra ele diariamente.
Beijinhos...
http://casualeblog.wordpress.com

Irmão Sol, Irmã Lua disse...

Rose,
interessante, lembrei-me desse texto (A Peste a Caminho de Bagdá)essa semana, cheguei a comentar com a Mari sobre o medo como sendo um gigante da alma, ao qual deveremos vencer com a coragem e inteligência de um Davi; lhe disse que havia aprendido isso de uma amiga querida.
Carinho sempre,
Benja.

Ela disse...

as vezes... tenho medo de mim. Este sim é o pior e maior de todos!

Marilac disse...

Querida Rose,
Foi bom ler esse post!
O Benjamim ,qundo comentei com ele sobre meus medos,já havia me contado sobre esse gigante da alma
que devemos vencer...
Acrediro que com muita serenidade e com Deus nas nossas vidas
poderemos enfrentar esses medos que tanta angustia nos trazem.
É preciso sabedoria para discernir o que é real do que é pura imaginação e
agir de acordo.
Ação evita stress.
O medo paralisa e nos mantem presas a uma situaçao.
Vamos ter Fé !!! Vamos agir.

Bjs
e uma semana abençoada
Marilac

Poderá também gostar de :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...