quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

FINALMENTE!

"Lá vem o Sol!
Lá vem o Sol!
Tá legal!
.................
Sol, Sol, Sol
Temporão!
Sol, Sol, Sol,
Brilha então!"

(Lulu Santos)

ESSÊNCIA...

DA JUVENTUDE

"CLICK"!

"MISTY TREES"


BALDOMERO ALVES

O SÁBIO E O TOLO

( Desconheço o autor da foto-montagem )

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

SONHO


"Sonho
um tear de tecer vidas
com fios de arco-íris."

CLÁUDIO PARTES - "Histórias Coloridas"

SORRISOS

SERENOS...
ENGRAÇADOS...
IRREVERENTES...

ENCABULADOS...


INOCENTES...

ESCANCARADOS...



SÃO
TODOS SINAIS DE VIDA

E SEMPRE CONTAGIANTES!...

[ Então... SORRIA!... ]



segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

PROTEÇÃO

[Porque toda criança precisa...]

( Desconheço o autor da foto )

"OLHA O PASSARINHO!"

[ Parece que estes aí levaram a sério a pose para a foto!... ]

( Foto de autor desconhecido)

DA FLOR AO FRUTO (V)

FLORES DE MACIEIRA

( Brancas e delicadas... )


MAÇÃS!...

( Estas já são velhas conhecidas!..)

PROPÓSITO

FONTE DA IMAGEM:

domingo, 27 de janeiro de 2008

FLOCKE

Esta fofíssima está sendo alimentada e cuidada, com muito carinho, por tratadores do Zoológico de Nuremberg, Alemanha, após ter sido separada de sua mãe, que vinha demonstrando uma certa irritação no trato com ela. Segundo os veterinários da ursinha, foi uma medida de prevenção necessária; o objetivo é preservar a vida do animal.
Ela não é linda?
[ E pensar que os ursos polares estão "ameaçados de próxima desaparição"... ]
( Fonte da fotografia: http://www.globo.com/ )

COM A PALAVRA: MANOEL DE BARROS

"EU ESCREVO COM O CORPO
POESIA NÃO É PARA COMPREENDER
MAS PARA INCORPORAR"

*************************************************************

"Aos poetas é reservado transmitir a essência. Vem daí que é preciso humanizar de você a natureza e depois transfazê-la em versos."

"Porque é nos sentidos que a poesia tem fonte.
(...) Poeta não é necessariamente um intelectual; mas é necessariamente um sensual. Pois não é ele que diz eu-te-amo para todas as coisas?"
"O jeito que eu tenho de me ser não é falando; mas escrevendo."

"Meu negócio é com a palavra. Meu negócio é descascar as palavras, se possível, até a mais lírica semente delas."

"O verso balança melhor com palavras curtas."

"A mim me parece que é mais do que nunca necessária a poesia. Para lembrar aos homens o valor das coisas desimportantes, das coisas gratuitas.(...) Quanto à função da poesia...Creio que a principal é a de promover o arejamento das palavras, inventando para elas novos relacionamentos, para que os idiomas não morram a morte por fórmulas, por lugares comuns.

(...) Além disso, a poesia tem a função de pregar a prática da infância entre os homens. A prática do desnecessário e da cambalhota, desenvolvendo em cada um de nós o senso do lúdico. Se a poesia desaparecesse do mundo, os homens se transformariam em monstros, máquinas, robôs."
( Trechos de entrevista a MARTHA BARROS para o Correio Brasiliense )


******************************************************


MANOEL DE BARROS POR ELE MESMO:
Sou um sujeito de recantos.
Os desvãos me constam.
Tem hora leio avencas.
Tem hora, Proust.
Ouço aves e beethovens.
Gosto de Bola-Sete e Charles Chaplin.
O dia vai morrer aberto em mim.
*******




QUINTESSÊNCIA

[ Ainda refletindo na travessia...]
Qualquer dia desses,
eu me detenho
e me convenço
a um
trans
bor
da
men
to
de mim -
aí então
será cheia
permanente,
enchente
de tréguas cristalinas,
abrindo paisagens fluidas
sobre velhos leitos escarnecidos.
Serei água -
meu elemento -
lavando em mim
traços descontínuos,
restos de manguezais
e descontentamentos;
darei festas de passagem
e convites peregrinos...
Qualquer dia desses,
dou a volta por cima
dos meus enganos
e faço planos de constelação:
subo em cauda de
cometa,
bordo luzes
nos meus olhos
e cumpro meu calendário
todo feito de essência...
O tempo que me aguarde...
Qualquer dia desses,
eu me desmancho em ternura
e me faço transparência
(antes que seja tarde...)

( Imagem de autoria desconhecida)

EXISTÊNCIA

( Desconheço o autor da imagem )

sábado, 26 de janeiro de 2008

"NA TERNURA DE TUAS MÃOS QUE ME SORRIEM..."


(Desconheço autor da foto-montagem)

TEMPO DE TRAVESSIA

[ Tenho pensado tanto nisto!...]



"Há um tempo
em que é preciso abandonar as roupas usadas
que já têm a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia;
e se não ousarmos fazê-la;
teremos ficado para sempre, à margem de nós mesmos."
**********
( Texto e imagem de autoria desconhecida)

********

TRADUZINDO...

Obedecereis a lei do Cristo,
quando oferecerdes ajuda uns aos outros.
( Gálatas, 6:2 )

CONQUISTA DA PAZ

"A PAZ virá ao teu encontro, e residirá contigo,
sempre que te mantenhas na CONSCIÊNCIA TRANQÜILA,
sobre os alicerces do teu próprio dever retamente cumprido."
(EMMANUEL)

(Desconheço autor da fotografia)

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

MINHA BUSCA


IMPRESSÕES

"Às vezes, damos uma impressão de dinamismo,
ao dizermos alguma coisa.
Outras vezes, damos uma impressão igualmente significativa ,
ao permanecermos em silêncio."
*********
( DALAI - LAMA )

( Pintura: "Aurora Boreal", de autor desconhecido )

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

"Atravessar fronteiras é o verdadeiro sentido da vida.
[...] Há muitas fronteiras que não são físicas
e que também é preciso atravessar:
as da cultura, da família, do idioma, do amor..."
*************
( RYSZARD KAPUSCINSKI,
em entrevista com Ramón Lobo,
publicada em El País, a 23 de abril de 2006.)
( Fonte da imagem: www.waram.org )

JANELA SOBRE A MEMÓRIA (II)

"Para os navegantes com desejo de vento,
a memória é um porto de partida."


Eduardo Galeano
( Trecho de "AS PALAVRAS ANDANTES" )

AFINIDADE


( ARTE: Pablo Armesto )

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

CHUVA

Anda chovendo por aqui.
Dias de chuva me levam, de alguma forma, a um canto de mim - me interiorizam.
É que os instantes se alongam, e os pensamentos ganham ritmo com os pingos que caem lá fora.
Quando era menina, gostava de olhar "o céu jogando água no mundo" e, da minha janela, meu portal de sempre, ia brincando de imaginação, um jeito de distrair o tempo. Também me entretinha desenhar com os dedinhos nos vidros que eu bafejava inocentemente... O Sol era uma das imagens favoritas. Desenhá-lo num dia de chuva, para muitos, era uma forma de atraí-lo. E eu o fazia, sem saber que já exercitava esperança...
Em dias molhados como estes, minha memória se agiganta e vira curso de rio ; por isso há transbordamentos...

(Desconheço o autor da fotografia)

REFLETINDO COM HORÁCIO...

[ Também tenho aprendido, Horácio!...
E que nunca nos descuidemos da ESPERANÇA,
anunciada pelos "DIAS DE SOL"!...]



terça-feira, 22 de janeiro de 2008

ÂNIMA

"Lapidar minha procura, toda trama.
Lapidar o que o coração, com toda inspiração,
Achou de nomear, gritando 'ALMA!'
Recriar cada momento belo já vivido e mais,
Atravessar fronteiras do amanhecer,
E, ao entardecer, olhar com calma então.
ALMA, vai além de tudo que o nosso mundo ousa perceber.
Casa cheia de coragem e vida, tira a mancha que há no meu ser!
Te quero ver, te quero ser, ALMA!"
**************************

( MILTON NASCIMENTO - ZÉ RENATO )
(Imagem de Asher Dalton Brown)

DESABROCHAR

Ando cultivando
"SILÊNCIO...
para que desabroche
a flor e as cores..."

( Imagem de Karl Nelson)

O HOMEM; AS VIAGENS

O homem, bicho da Terra tão pequeno
chateia-se na Terra
lugar de muita miséria e pouca diversão,
faz um foguete, uma cápsula, um módulo
toca para a Lua
desce cauteloso na Lua
pisa na lua
planta bandeirola na Lua
experimenta a Lua
coloniza a Lua
civiliza a Lua
humaniza a Lua.

Lua humanizada: tão igual à Terra.
O homem chateia-se na Lua.
Vamos para Marte - ordena a suas máquinas.
Elas obedecem, o homem desce em Marte
pisa em Marte
experimenta
coloniza
civiliza
humaniza Marte com engenho e arte.
Marte humanizado, que lugar quadrado.
Vamos a outra parte?
Claro - diz o engenho
sofisticado e dócil.
Vamos a Vênus.
O homem põe o pé em Vênus,
vê o visto - é isto?
idem
idem
idem.
O homem funde a cuca se não for a Júpiter
proclamar justiça junto com injustiça
repetir a fossa
repetir o inquieto
repetitório.

Outros planetas restam para outras colônias.
O espaço todo vira Terra-a-terra.
O homem chega ao Sol ou dá uma volta
só para tever?
Não-vê que ele inventa
roupa insiderável de viver no Sol.
Põe o pé e:
mas que chato é o Sol, falso touro
espanhol domado.

Restam outros sistemas fora
do solar a col-
onizar.
Ao acabarem todos
só resta ao homem
(ESTARÁ EQUIPADO?)
A DIFICÍLIMA DANGEROSÍSSIMA VIAGEM
DE SI A SI MESMO:
PÔR O PÉ NO CHÃO
DO SEU CORAÇÃO
EXPERIMENTAR
COLONIZAR
CIVILIZAR
HUMANIZAR
O HOMEM
DESCOBRINDO EM SUAS PRÓPRIAS INEXPLORADAS ENTRANHAS
A PERENE, INSUSPEITADA ALEGRIA
DE CON-VIVER.

(CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

ESTÁ SERVIDO(A)?

É "light"!

(Fotografia de autor desconhecido)

BÊNÇÃOS

Descem, suavemente, aos nossos corações...
Invisíveis benfeitoras, renovam nosso ânimo, apontando-nos caminhos.
De essência translúcida, vão se espalhando
pelo mundo sob formas diversas:
uma palavra de alento, um sorriso acolhedor, um dia iluminado,
o encontro com um beija-flor, um afeto que se doa...
Invariavelmente, estão sempre ao nosso alcance.
É só aprender a olhar...
*******
[ Uma semana abençoada para todos nós!]
( Imagem de autor desconhecido )

domingo, 20 de janeiro de 2008

"LONGE É UM LUGAR QUE NÃO EXISTE"

[ Um dia, a gente aprende que
"as coisas que importam são as feitas de
VERDADE e ALEGRIA,
não as de lata e vidro." ]

"Voe LIVRE e FELIZ além de aniversários
e através do SEMPRE.
Haveremos de nos encontrar outra vez, sempre que desejarmos, no meio da única comemoração que não pode jamais terminar."
**********
( RICHARD BACH - "Longe é um lugar que não existe" )

sábado, 19 de janeiro de 2008

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008


Eu parei de lutar contra o tempo.
Ando exercendo instante.

Acho que ganhei presença.

Viviane Mosé
"pensamento chão - poemas em prosa e verso"

ESSÊNCIA ...

DO SORRISO


( Autoria desconhecida )

ALIMENTO DIÁRIO

[ Para todos nós! ]
( Desconheço autor da fotografia )

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

"CLICK!"

"MULTICOLOR"
PEDRO CASTRO

ESSÊNCIA ...

DO AMOR

(Imagem de autoria desconhecida)

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

DA MINHA JANELA


Cá dentro de mim, o tempo é um percurso que segrega essências.
Minh'alma tem ânsia de ir mais além...
Da minha janela, os campos vastos me evocam mundos de suavidade e luz; e, num transporte, vejo-me a percorrê-los , qual menina, redescobrindo a vida nos seus tons originais.
Da minha janela, a paisagem dá sinais de verdura e renascimento; e o céu anuncia a boa nova da criação.
( A Eternidade é um modo de ser.)
( Desconheço a autoria da foto)

SENTIR SAUDADE...

[ Hoje eu senti saudade,
sensação de vazio
de vez em quando...
Olhei para dentro,
silenciei o instante
e senti saudade...
De um tempo em mim...
De uma voz ecoando...
De uma rosa chegando
num tom de bondade...
Senti falta do gesto
aberto , sereno
e da mão transbordando
Amor e Verdade...
Olhos fixos no céu,
mas de alma distante,
hoje eu senti saudade...]



A SAUDADE


A saudade é como um verso
que depois de escrito
não se pode ler;
é um sol sem brilho,
um mar sem ondas,
a saudade é tarde sem entardecer...
É estar contigo sempre
e, na tua presença, não poder te ver;
a saudade é um sofrimento,
é mais do que um tormento,
é mais do que sofrer.
Ah! Sentir saudade -
voz que diz ao coração pra desaparecer!...
E, sumindo, pouco a pouco,
tão pequeno, a gente começa a morrer...
Mas a saudade não mata,
é luz de vela viva
e faz a gente ver
que a saudade é um outro coração
que a gente tem
que faz o coração bater...


LUÍS ALBERTO MUSSA TAVARES
( Imagem de Alberto Pinto)

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

CONSIDERAÇÕES

" O homem que conhece a si mesmo reconhece os próprios limites e, portanto, não exorbita de sua capacidade ou condição. Ao mesmo tempo, aquele que é capaz de identificar e examinar sobriamente os seus próprios sentimentos e desejos consegue, em alguma medida, vê-los de fora e distanciar-se deles, o que reduz o risco de que venham a tiranizar a sua mente ou conquistar um poder exagerado sobre suas ações. Nenhuma falsa certeza subjetiva o levará a tentar ser quem não é ou a ser tragado por suas próprias paixões.
O autodesconhecimento, ao contrário, favorece o excesso. A superestimação de si mesmo, a inflamação do acreditar e a concentração excessiva do querer revelam que o indivíduo está, de alguma forma, fora de si, ou seja, perdeu o pé de sua realidade interna.


As certezas inexpugnáveis e avassaladoras que o movem comprometem a sua percepção de limites e o seu senso de proporções. "Desejar violentamente uma coisa", observa Demócrito, "é tornar-se cego para o demais" (fragmento 72). Juízo míope, agir descomedido. É da ignorância de si que surgem os piores excessos na vida pública e privada. Se os homens se empenhassem de fato na busca do autoconheciemnto, eles naturalmente se tornariam mais equilibrados e temperados em seus entusiasmos e ambições. "
(EDUARDO GIANNETTI - fragmentos do livro "Auto-Engano")
(Fonte da imagem I: www.mondoredondo.com;
desconheço autoria da imagem II)

Poderá também gostar de :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...