sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

PANORÂMICA

Entre a Terra e o Céu,
uma visão deslumbrante...
Na junção das cores,
no desenho das flores,
um convite à VIDA!...
( Imagem de autor desconhecido )


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O QUE VEJO DE MINHA JANELA...


Quando abro a minha janela,
beleza e cor me refrigeram os olhos.
Vista assim, sem pressa,
a paisagem me convida a ser pássaro,
então me atiro desassombrada
em seus braços de luz!...
Reconstituo a memória dos sonhos
e, de algum modo, sou feliz!...
( Desconheço a autoria da imagem )

***************

E você? O que vê de sua janela?

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

MEMES E MIMO

Recebi dois MEMES e, embora com um certo atraso, cá estou para cumpri-los.

O primeiro me foi enviado por CRIS (www.rascunhosemvidas.blogspot.com) e
consiste no seguinte:
1- Fale 9 coisas aleatórias sobre você:
6 verdadeiras e 3 falsas.
2- Repasse para outros blogueiros ( não há uma quantidade especificada).
3- Quem receber o meme deve tentar descobrir a três afirmativas falsas e postar junto com seu meme.

Então, lá vou eu:
1-Sou introspectiva por natureza.
2-Embora ame o mar, tenho receio de viajar de navio.
3-Torço pelo maior time do país: o Flamengo, é claro!
4-Já atuei em, pelo menos, seis peças teatrais, representando, dançando e cantando.
5-Sou muito supersticiosa.
6-Sonho, um dia, nadar com golfinhos.
7-Acredito que a vida é uma aprendizagem diária e que aquilo que fazemos tem repercussão no Todo Universal.
8- Publiquei, em 1998, um livro de poemas , intitulado "O Ritmo de Mim".
9- Gosto muito do estudo de línguas estrangeiras e tenho me interessado, nos últimos tempos, pelo italiano.
* Repasso este Meme para: Marilac - "Sentimentos e Palavras"; Cátia -"Rastros de Impressões"; Mel -"Qualquer coisa de flor" e Beth - "Mãe Gaia".
Para mim, as afirmações falsas da Cris são:
- Chorei poucas vezes na minha vida;
- Meu melhor amigo é um padre;
- Já vi um OVNI.
****************************


O segundo
foi
CÁTIA (
http://www.rastrosdela.blogspot.com/) que me enviou. Ei-lo:




- Agarrar o livro mais próximo;

( Difícil isto! Tenho tantos e tão próximos! )

- Abrir na pág. 161;

(Nem todos os que estavam próximos tinham essa pág. , então fui por eliminação!)

-Procurar a quinta frase completa;

(Esta foi fácil!)

- Colocar a frase no blog;

( Está aí embaixo e com foto!)

-Repassar para seis pessoas.

( Esta parte é tão legal! rsrsrs... The winners are : "Benja" - "Irmão Sol, Irmã Lua"; Carol - "Casa de Palavras"; Marilac - "Sentimentos e Palavras", "Mari" - "Inutilidade Fabricada" ; Olívia - "Pensamentos soltos traduzidos em palavras" e Lenissa - "Centelhas de Idéias" ).

**********************

"Quando convidamos alguém
a fazer uma viagem conosco,
temos de saber primeiro para onde vamos."

Do livro: "A ARTE DA VIDA"
deTsering Paldrön

( Fotografia de Elliot Erwitt )


E, por fim, uma delicada surpresa
que a CAROL TIMM
reservou a esse espaço!
Um selinho valioso como este
é um mimo para o coração e,
de acordo com as regras,
precisa ser partilhado.

Então, vamos a elas:

- Exibir a imagem do selo (Feito!);

- Escolher seis mulheres diferentes a quem entregar o "Blog de Ouro" ;

( É pra já: Mel - "Qualquer Coisa de Flor"; Rosa Carvalho - "Terapia Cognitivo Comportamental"; Cris -"Rascunhos em Vidas"; Clécia - "Meu Mar Azul"; Adelaide Amorim - "Inscrições" e Beth - "Mãe Gaia").

OBS.: Poupei algumas desta vez, porque sei que já foram presenteadas! Além disso, já receberam algumas tarefinhas lá em cima (rsrs...)!


- Deixar um comentário nos blogs escolhidos, para que saibam que receberam o prêmio. ( Vou lá agora! )

************

BOM TRABALHO PRA VOCÊS!

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

DOSE DUPLA...

DE TERNURA E
ENCANTAMENTO
NESTA SEGUNDA!...

( Desconheço a autoria da foto )

domingo, 22 de fevereiro de 2009

sábado, 21 de fevereiro de 2009

CANÇÃO

"Disciplina é liberdade,

Compaixão é fortaleza,

Ter bondade é ter coragem..."


"Há Tempos" -
Renato Russo

DAS ESTRUTURAS E SEUS PARADOXOS


"Época triste essa em que nós vivemos: é mais fácil quebrar a estrutura de um átomo do que a estrutura de um preconceito."
ALBERT EINSTEIN

ABRE ALAS PARA A POESIA!

Deus, modalidades


Quando caminho pela manhã
no colo do dia fresquinho
novinho em folha
com azul no céu
e música de passarinho
quem olha
não vê quem me leva
quem olha pensa que é o vento que me levou.

Ninguém conhece minha reza,
é no colo de Deus que eu vou.

Tarde calma carioca de outono, 2002

ELISA LUCINDA
em "A FÚRIA DA BELEZA"
( Imagem de autoria desconhecida )

ECOTERNURA

"Somos ternos quando abandonamos a arrogância de uma lógica universal e nos sentimos afetados pelo contexto, pelos outros, pela variedade de espécies que nos cercam. Somos ternos quando nos abrimos à linguagem da sensibilidade, captando em nossas vísceras o prazer ou a dor do outro. Somos ternos quando reconhecemos nossos limites e entendemos que a força nasce de compartilhar com os outros o alimento afetivo. Somos ternos quando fomentamos o crescimento da diferença, sem tentar nivelar aquilo que nos contrasta. Somos ternos quando abandonamos a lógica da guerra, protegendo os nichos afetivos e vitais para que não sejam contaminados pelas exigências de funcionalidade e produtividade a todo transe que pululam no mundo contemporâneo.

(...) Sermos ternos é entender que não somos o centro hierárquico do ecossistema, pois, ao depender biológica e afetivamente, nos descentramos, admitindo que o eixo ordenador passa por seres ao mesmo tempo diferentes e distantes de nós. Aceder à racionalidade ecológica e à causalidade retroativa é permitir a emergência de um sentimento de fratura em nossa imagem de reis da criação, pois nos ecossistemas não há centro, nem chefe, nem quem ordene ou obedeça. O ecossistema é pluricêntrico e reconstrói a cada instante, a partir de cada um de seus centros, toda a atividade da cadeia vivente, sempre aberto a múltiplos contatos, a variadas zonas de incerteza e indeterminação. É na captação sensível desta variedade que está a sabedoria do ser vivente para articular-se às cadeias biológicas que lhe asseguram sua nutrição e crescimento."
"O Direito à Ternura" - Luís Carlos Restrepo
Fonte da fotografia: 1000 imagens

sábado, 14 de fevereiro de 2009

UM POUCO MAIS SOBRE O SILÊNCIO...


(...)
Brinco e trabalho, sonho e me exercito com frases e entrelinhas desde que me recordo: são material de minha profissão, de meu encantamento e de minha perplexidade. Pois o que pode separar também liga, o que deveria significar harmonia pode maltratar.
Como nós humanos, palavras se transformam feito pedras roladas em fundo de rio: o vulgar torna-se belo, o comum cai na lata de lixo dos palavrões de mau gosto, o necessário é esquecido e o raro vem para a mesa como a manteiga e o pão.
Silêncios, por sua vez, promovem contatos amorosos ou erguem barreiras como lanças espetadas. O silêncio pode ser bom de curtir gente, arte ou natureza, ou de fazer descobertas transformadoras em nós mesmos, mas pode ser o silêncio do suicida que queria dizer: venha me socorrer... mas não havia ninguém.
Conheço o silêncio positivo dos casais que não precisam de muitas palavras, porque se entendem pelo olhar, e são felizes simplesmente estando lado a lado. Escutei o silêncio mau das famílias onde não se respeita o outro, dos casais ligados apenas pelo acomodamento; o silêncio humilhante dos locais de trabalho onde a competitividade é cruel; o silêncio perverso da mentira pública, quando culpados enveredam pela trilha da negação do mais-que-evidente e até confessado, que lesou o nosso bolso e nossa dignidade.
Mulheres traídas, homens pouco amados, pais arrogantes e brutais ou eternamente críticos ( também se bate com palavras ), mães amargas ou obsessivamente controladoras, patrões gananciosos, funcionários insatisfeitos... todas as formas de desrespeito expresso ou subliminar tendem a reproduzir atitudes semelhantes. E os conceitos, coração das palavras, vão-se transformando nesse campo de batalha: o dito, o não-dito, o jamais comunicado.
Lançar uma palavra aos quatro ventos, com se entendêssemos do que se trata, não quer dizer que a gente viva segundo ela. A ética, por exemplo, nestes dias , há de estar nos contemplando consternada, pobre senhora: não do Olimpo dos deuses intangíveis, mas nas esquinas da nossa tresloucada humanidade, onde a abandonamos em troca de comportamentos perversos.
Temos dificuldade em lidar com o silêncio: ele ressoa mal no vazio do nosso interior. Embora seja difícil de curtir ( ah, a música ao vivo, a praia com alto-falantes, a ginástica dirigida, os brinquedos comandados, a diversão atordoante em casa, no clube, n o mar....), é nele que nos humanizamos - pela palavra certa, a palavra boa, a palavra respeitosa, mas firme.
O medo de errar muitas vezes nos leva ao erro, e o desejo excessivo de acertar nos rouba a naturalidade: calamos quando seria melhor falar, falamos quando teria sido melhor dizer alguma coisa, qualquer coisa.
Mas nem sempre sabemos a hora, a palavra, a pessoa certa.
Assim como solidão não precisa significar isolamento, silêncio não precisa ser um corte: pode ser nossa melhor maneira de falar, naquele momento, com aquele interlocutor. Aí ele não compreende, e, mais uma vez, somos incomunicáveis.
Calar pode ser um bom exercício para nossa mente aflita de tantas informações, paralisada entre tantas escolhas, dilacerada em transformações vertiginosas como as deste tempo nosso. Pensar sobre nós e nossa vida é um exercício: o que eu realmente desejaria ser, e o que posso fazer? Como chegar perto de mim, eu mesmo, esse que está sempre por ser descoberto?
Pode ser um bom começo ouvir a chuva no telhado, a pessoa amada vindo pelo corredor, e a consciência que fala ao nosso coração - quando ele está atento.
LYA LUFT - "Em Outras Palavras"
( Desconheço o autor da fotografia )

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

CANTIGUINHA

Muitas vezes, um CARINHO
é uma espécie de caminho,
um portal de esperança,
um modo de salvação...
Quem canta essa melodia
conhece a doce alegria
de descobrir-se criança
por dentro do coração...

[ Para todos vocês,
neste início de semana!... ]
FONTE DA IMAGEM:.www.florisbella.com.br.gif

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

TEMÁTICA AMOROSA

" O AMOR é ofício de a dois,
plantada estrela por dois."
THIAGO DE MELLO


"O melhor AMOR é aquele que desperta em nós
os nossos melhores sentimentos."
**********
"O AMOR é o menor poema
Das mãos do maior poeta...
Palavrinha tão pequena...
Palavrinha tão completa... "
LUÍS ALBERTO MUSSA TAVARES
Fotografia: www.llucena.flogbrasil.terra.com.br

ENTRANDO NO RITMO...

"Apareceu a margarida,
olê, olê, olá!..."

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

CONSCIENTIZAÇÃO


"Em vez de procurarmos o bem-estar a qualquer preço - matando, pilhando, explorando, mentindo, esmagando os outros para lhes extorquirmos aquilo que cobiçamos -, reconhecemos que a usurpação da felicidade tem resultados nefastos, tanto em nível pessoal como planetário. Exemplos não faltam.
Chegamos a um momento da história em que, mais do que nunca, os métodos de busca da felicidade utilizados no mundo ocidental se revelam contraproducentes. Mas adotar a visão extremista de abandonar os aviões e voltar aos carros de bois, jogar fora os celulares e voltar aos pombos-correios também não resolve nada. Não podemos responsabilizar o desenvolvimento da ciência pelas catástrofes ecológicas à beira das quais nos encontramos, mas sim a falta de ética, a ganância e a cegueira diante da interdependência dos seres e dos fenômenos.
(...) Não existe um sistema político que possa mudar a sociedade composta pelos predadores que somos. Para que tal mudança se opere (...), devemos adotar uma ética secular e inculcar nos nossos filhos a consciência de que o bem-estar que desejam não pode ser obtido em detrimento dos outros. Se queremos assegurar a sobrevivência da humanidade e do planeta, torna-se indispensável encontrar uma ordem de valores que nos sirva de referência e que esteja na base das nossas opções individuais e coletivas. E a base dessa ordem de valores tem de ser o respeito pelos outros e pelo mundo, a bondade, a dignidade e um sentido de responsabilidade planetária baseados no conhecimento da profunda conectividade que existe entre tudo."
Do livro "A ARTE DA VIDA -
os fundamentos do Budismo",
de Tsering Paldrön

Fotografia: "Photobucket"

ESSÊNCIA...

DA AFINIDADE

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

VOLTEI!

Saudades de vocês, deste espaço, do contato carinhoso
que aprendemos a cultivar por aqui!...
A viagem foi maravilhosa! Como era de se esperar, sol e mar me trouxeram energia e refrescância... Muitas belezas naturais - presentes de Deus - iluminaram meus olhos, permitindo-me o repouso do coração...
Sinto-me mais refeita e equilibrada.
Sei que este NOVO TEMPO será mais doce, mais pleno...
Estou pronta para o recomeço!...
**********
Olhem só o que eu trouxe para compartilhar!
[ DIVERSIDADE: flores, cactos, pedras , céu e mar -
uma mensagem clara de convívio pacífico... ]

[ PONTO DE ENCONTRO: num final de tarde, nada melhor
do que sentar-se sob árvores frondosas, e, sentindo a brisa do mar,
observar a paisagem sem pressa... ]

[ Do alto das dunas, uma deliciosa visão do mar... ]


[ Um pouco do céu azul forrado de nuvens delicadas... ]


[ E esta aqui sou eu,
admirando o anoitecer na Praia do Forte! ]


Obrigada por todo o carinho que
me deixaram nos comentários!
Vocês são especiais!

ESSÊNCIA DA...

( Desconheço o autor da fotomensagem )

"CLICK"!

"ROMEU E JULIETA" -
uma história de amor no cais...

Rose Machado
LOCAL: Canal da Praia do Forte
em CABO FRIO

Poderá também gostar de :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...