quinta-feira, 20 de novembro de 2008

SIMPLES...

Quero que a menina me tome pelas mãos
e me ensine, de novo, a correr pela vida
sem cuidados ou medida.

Quero um tempo de mim,
com asas e borboletas
brotando pelos jardins.
Um tempo de ressonâncias
e sonhos abertos ao vento -
invisível companheiro da memória...

Quero, outra vez,
sentar à sombra das árvores,
abrir portas
para histórias encantadas
e decorar o céu
em seu bordado de estrelas.

Porque
há um sentido em cada coisa,
e viver pode ser simples
como uma flor...

8 comentários:

Olívia. disse...

que lindo :) é seu?

;*

Carol disse...

Bom mesmo é preservar esse encanto e essa pureza da infância, quando ficamos adultos!

Mari* disse...

simples, e por sua simplicidade, tocante.
adorei.
beijos de carinho,
Marília

Mel disse...

Rose, a beleza está mesmo na simplicidade!
Olha só, a Luma me ajudou a recuperar os posts!
Obrigada pelo teu carinho!
Beijo

Irmão Sol, Irmã Lua disse...

“Sorella” querida,
Simplesmente belo, terno e doce como seu coraçãozinho.
Palavras sentidas, com imagens encantadoras!
Que a menina esteja sempre viva, trazendo-lhe leveza, sonhos e alegrias.
Carinho sempre do “fratello”,
Benja.

Carol Timm disse...

Rose,

Você devia publicar mais poemas teus aqui.

Este poema é muito leve, alegre e toca o coração da gente.

Acho que qualquer dia ele vai reaparecer lá em casa... ;)

Beijos,
Carol

Janah Lourenzo disse...

lindo esse texto!!!!!



beijos!

Marilac disse...

Rose,
Reforço as palavras da querida Carol: Você devia publicar mais seus poemas!

Esse é lindo,leve, cheio de cores,resgatando sonhos de infância, tempo de magia e Esperança!
Amei a imagem!

"Quero um tempo de mim,com asas e borboletas brotando pelos jardins."

bjs
com carinho,
Marilac

Poderá também gostar de :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...